quinta-feira, 13 de junho de 2013

laicos lamina

É porque - por exemplo. Tu tinhas tido uma sensação estranha ou engraçada enquanto vivias sozinha na natureza. E o que é que podias fazer a essa necessidade precipitante de a partilhar com outros? E de ouvir respostas aproximadas às questões do teu espanto? Ou simplesmente de ouvir voz?

É que. Agora tu pensaste nessa coisa estranha, grande, e grande ponto de interrogação, e vieste ter comigo e perguntaste:

- Como é que te vês no futuro?

E eu cantei-te (um)a canção:

Vou-me chegando
à tua questão
que é mundo feito
que é líquido e meio
de vida e sabor

E ao chegar
à terceira curva
corro fujo
sem lusco-fusco
apago de pavor

De pensar amanhã
fujo
de pensar em mim
fujo
do amanhã desta casa
fujo
eu em minha casa e aqui
susto

E se estivesses sozinha na natureza, não podias perguntar nada a ninguém. E como ias dormir?
 
(E como ias dormir) sem falar?

Sem comentários: